Cuscuz de Tapioca

Olá pessoal tudo bem? não sei na casa de vocês, mas aqui a tapioca faz o maior sucesso! De qualquer jeito doce ou salgada! E outro dia procurando mais receitas acabei encontrando essa que fica uma DELÍCIA!!!

Beijos e um ótimo carnaval a todos!!!!

cuscuz

INGREDIENTES:
– Um litro de leite
– Um vidro pequeno de leite de coco
– Um coco fresco ralado (se não tiver pode ser o de supermercado)
– Três xícaras e meia (ou 500 gramas) de tapioca
– Duas xícaras de açúcar.

MODO DE PREPARO:
Em uma tigela, misture bem: metade do coco ralado, a tapioca e o açúcar. Reserve. Em seguida, misture o leite e o leite de coco numa panela e coloque para ferver. Assim que levantar fervura, desligue. Deixe esfriar um pouco. Misture bem o leite quente com o restante dos ingredientes e transfira para um refratário. Tampe com um pano de prato e deixe descansar por volta de 30 minutos. Cubra com o restante do coco e leve para a geladeira por cerca de duas horas.

Imagem: google

Anúncios

Alimentos fonte de cálcio que não contém leite

Olá pessoal!

Já falei e falo muito sobre a importância do cálcio na saúde dos nossos pequenos. O leite é um dos principais alimentos fonte de cálcio. Mas, e quando a criança tem intolerância ao leite? Hoje darei dicas de alimentos que também são ótimas fontes de cálcio.

LEMBRETE: Antes de tirar o leite da alimentação do seu filho, procure um especialista e veja se realmente a criança tem algum tipo de intolerância a esse alimento!

Alimentos-ricos-em-cálcio

Tofu

O tofu apresenta maior quantidade de cálcio do que o leite. Enquanto 100 g de leite contém 100 mg de cálcio, em 100 g de tofu há 159 mg de cálcio. O problema é a biodisponibilidade, ou seja, absorvemos melhor o cálcio de alimentos de origem animal do que os de origem vegetal. Mesmo assim, esse derivado da soja é uma boa fonte do nutriente. Além disso, é rico em proteínas, fósforo e magnésio. Para completar, ele ainda oferece poucas calorias: apenas 70 kcal em 100 g.

Brócolis

O brócolis cru contém 400 mg de cálcio em 100 g, mas dificilmente consumimos esse alimento assim. Geralmente, ingerimos esse alimento cozido ou no vapor. Ao submetê-lo ao cozimento, entretanto, ele perde cerca de 70% da quantidade inicial de cálcio, enquanto que, no vapor, ele perde cerca de 25% da quantidade inicial do nutriente. Prefira, portanto, consumir o brócolis no vapor e aproveite outros nutrientes, como ácido fólico, antioxidantes, fibras e vitaminas A e C.

Sardinha

A sardinha, assim como outros peixes de água fria, é conhecida por ser fonte de uma gordura boa para o coração: o ômega 3. Mas o alimento, que pode ser consumido assado, grelhado ou até em patê, também é rico em cálcio. Cada 100 g de sardinha oferece 500 mg do mineral. O peixe também é um alimento de fácil digestão e altamente recomendado para atingir as recomendações diárias de ingestão das vitaminas A e D.

Espinafre

Alimento antioxidante e fonte de fibras, o espinafre também é rico em cálcio. Cada 100 g do vegetal contém 160 mg do nutriente. Outra característica do espinafre é o alto teor de ferro que faz com que ele seja bastante indicado a pessoas que sofrem de anemia ferropriva. A hortaliça pode ser consumida sozinha em saladas ou lanches simples ou cozido.

Semente de gergelim

A semente de gergelim costuma ganhar destaque por atuar como coadjuvante na perda de peso graças a alta concentração de fibras, conhecidas por proporcionar saciedade. Entretanto, outros nutrientes, como o cálcio, também podem ser encontrados na semente: 400 mg de cálcio em cada 100 g do alimento.Ela também é recomendada para regularizar o trânsito intestinal e controlar a glicemia. Por fim, estudos mostram que as gorduras insaturadas presentes na semente de gergelim agem de forma positiva na regulação do colesterol e do triglicérides.

Soja

A soja também é rica em cálcio, apresentando 90 mg do mineral a cada 100 g. Sua versão em farinha ou leite, entretanto, apresentam o nutriente em maior concentração. São 280 mg de cálcio a cada 100 g de farinha ou leite de soja. Mas o problema aqui também é a biodisponibilidade, ou seja, absorvemos melhor o cálcio de alimentos de origem animal do que os de origem vegetal., como acontece no tofu!

Linhaça

Uma porção de 100 g de linhaça contém 200 mg de cálcio, mas precisamos ficar atentos a esse alimento por ser altamente calórico. Essa mesma quantidade oferece cerca de 490 calorias. A linhaça também é fonte da gordura poli-insaturada ômega-3 que previne contra doenças cardiovasculares.

Grão de bico

O grão de bico proporciona benefícios similares aos da soja. A cada 100 g do alimento, são obtidos 120 mg de cálcio. Outras vantagens do consumo é a sensação de saciedade, melhora do fluxo intestinal e obtenção de proteínas.

Aveia

Por não ser cara e oferecer maior quantidade de fibras dentre os cereais, a aveia não costuma ficar de fora do cardápio de quem está de dieta. Um benefício de destaque do alimento, entretanto, é a diminuição do colesterol ruim (LDL). O que pouca gente sabe é que ela também é rica em cálcio, oferecendo 300 mg do mineral a cada 100 g do cereal. O alimento cai bem em receitas de pães e bolos e misturado com mingau ou frutas.

Chia

Semente rica em ômega 3, fibras, ferro e proteínas, a chia não podia ficar de fora da lista. Cada 100 g do alimento contém 556,8 mg do mineral. A chia ainda é conhecida por proteger o coração, melhorar o sistema imunológico, combater cãibras e auxiliar no funcionamento do sistema nervoso.

Imagem: google

Fonte: site minha vida

Receitas de lanchinhos rápidos

Olá pessoal!!! Como quarta é dia de receita, hoje resolvi dar algumas receitinhas para o lanche da tarde das crianças.

Espero que vocês gostem!!! São receitas práticas e rápidas!!!

Beijos

Bolinho de Caneca

bolo de caneca

Ingredientes:

  • 1 banana amassada
  • 1 ovo
  • 2 colheres (sopa) de aveia
  • 1 colher (sopa) de açúcar demerara
  • 1/2 colher (chá) de fermento em pó
  • 2 colheres (sopa) de leite de coco

Preparo: misture todos os ingredientes e leve ao microondas por 3 minutos.

Pão de Caneca

pão de cane 2

Ingredientes:

  • 1 ovo
  • 1 colher (sopa) de aveia em flocos finos
  • 1 colher (sopa) de água
  • 1 colher (sopa) de cream cheese
  • 1 colher (chá) de fermento em pó
  • Uma pitada de sal

Preparo: Bata todos os ingredientes com um garfo e coloque no microondas por 3 minutos. Pode rechear com os ingredientes que quiser!!!

Vitamina de Banana

vitamina de banana

Ingredientes:

  • 1 copo de leite (200ml)
  • 1 banana
  • 1 colher (sobremesa) de cacau em pó
  • 1 colher (sobremesa) de aveia

Preparo: bata todos os ingredientes no liquidificador e pronto!!! (essa eu adooooro!!!)

Imagens: google

Intolerância à Lactose

Olá pessoal!!!

Lembram que estava fazendo vários posts sobre a importância do leite? Nessa onde prometi que escreveria sobre a intolerância à lactose, o que é completamente diferente da alergia à proteína do leite, lembram?!!! Então, promessa é dívida!!! O post de hoje vai falar um pouquinho sobre a intolerância à lactose!!!

Have fun!!!

Beijos

Intolerância à Lactose

lei

A lactose é um tipo de açúcar encontrado no leite e em outros produtos lácteos. A intolerância à lactose é a incapacidade de digerir esse açúcar. A intolerância à lactose ocorre quando o intestino delgado não produz enzima lactase suficiente. As enzimas ajudam o corpo a absorver alimentos. Não ter lactase suficiente é chamado de deficiência de lactase.

Com a deficiência ou ausência dessa enzima, a digestão da lactose torna-se difícil. Ela chega ao intestino grosso inalterada, sendo fermentada por bactérias, produzindo assim acido láctico e gases. Além disso, a presença de lactose no intestino grosso aumenta a retenção de água, podendo causar diarréia e cólicas.

A intolerância à lactose pode começar em diferentes momentos da vida. Em indivíduos brancos, ela geralmente afeta crianças acima dos 5 anos de idade. Em afro-americanos, a intolerância à lactose frequentemente ocorre em torno dos 2 anos de idade.

Ao perceber os sintomas (dor abdominal, náusea, gases, diarréia e cólicas) após ingerir laticínios, a pessoa deve procurar um médico. Apesar dessa intolerância não causar riscos de vida, a sensação é de muito desconforto.

Uma vez diagnosticada a intolerância, pode-se prevenir novos sintomas excluindo leite e derivados, além de produtos ou alimentos preparados com leite. O não consumo de leite e derivados pode gerar falta de cálcio. E quem optar por eliminar os laticínios precisará de uma dieta especial.

Portanto, antes de tomar qualquer decisão, o ideal é procurar um médico e um nutricionista.

Você sabe o que é APLV?

Oi pessoal!

Hoje o tema do post é a APLV, mas vocês sabem o que significa essa sigla? Ela nada mais é que Alergia à Proteína do Leite de Vaca. Denomina-se alergia alimentar toda reação adversa dirigida ao componente protéico do alimento e que envolve mecanismo imunológico.

lei

A alergia à proteína do leite de vaca (APLV) ocorre principalmente nos três primeiros anos de vida. Em países desenvolvidos, a alergia à proteína do leite de vaca (APLV) afeta entre 2% e 7,5% das crianças, especialmente nos primeiros meses de vida.

leite

O diagnóstico da APLV deve ser realizado de forma criteriosa, já que seu tratamento se baseia na exclusão completa de leite de vaca e derivados da dieta, ou seja, importantes fontes de nutrientes, como o cálcio. A eliminação do leite de vaca sem substituição adequada pode prejudicar o crescimento normal e a qualidade nutricional da alimentação, com possibilidade de repercussões clínicas, razão pela qual se ressalta a importância da avaliação continuada, não só da ingestão alimentar mas também do estado nutricional das crianças, durante todo o período de dieta de exclusão.

leite

A terapêutica de exclusão da proteína do leite de vaca requer atenção quanto à introdução de uma dieta de substituição adequada, que atenda as necessidades nutricionais das crianças e assim permita seu crescimento e desenvolvimento normal. Uma dieta de exclusão inadequada pode ocasionar alterações nutricionais, como déficit de crescimento e desnutrição energético-protéica.

A APLV é diferente da alergia à lactose (outro componente do leite de vaca) e portanto possuem tratamento diferentes!

E aí gostaram? Na próxima semana vou falar sobre alergia à lactose!

Beijos e até lá!!!!

Imagens: google

Alergia alimentar

Bom dia meus queridos!!!!

Um assunto que é muito falado hoje em dia é a alergia alimentar, seja ela ao leite de vaca ou a qualquer outro alimento! Por isso resolvi esclarecer alguns pontos pra vocês

ale

A Alergia Alimentar é uma reação adversa a um alimento ou a um determinado componente nele encontrado. A resposta alérgica tem apresentação clínica muito variável, com sintomas que podem surgir na pele, no sistema gastrintestinal e também respiratório. Estima-se que as alergias alimentares acometam 6-8% das crianças com menos de 3 anos de idade e 2-3% dos adultos.

Alergia-Alimentar-4

A predisposição genética, a atividade antigênica de alguns alimentos e alterações intestinais desempenham papel fundamental no desencadeamento do processo alérgico. As reações que normalmente ocorrem envolvem a pele (urticária, coceira, eczema), o aparelho gastrintestinal (diarréia, dor abdominal, vômitos) e o sistema respiratório, principalmente tosse e falta de ar. Manifestações mais severas, conhecidas como reações anafiláticas ou choques anafiláticos, afetam vários órgãos simultaneamente e pode ser fatal. Nas crianças, principalmente menores de 3 anos, pode ocorrer perda de sangue nas fezes, o que vai ocasionar anemia e retardo no crescimento.

Alergia-alimentar-tratamento-500x287

Vários alimentos podem causar algum tipo de reação alérgica, sendo mais freqüentemente envolvidos a soja, o trigo, o ovo, o peixealguns cereais e o leite bovino. As macromoléculas, em especial as proteínas presentes nestes alimentos, são os principais componentes responsáveis pelas reações alérgicas.

Espero que tenham gostado!

Aguardem o próximo post que irei falar sobre a alergia da proteína do leite de vaca!

Beijos e até lá!!!!

Fonte: site DraNutri

Imagem: google

Leite: mocinho ou vilão?

Olá pessoal!

Hoje vou falar um pouco sobre um alimento de muita grandeza, principalmente para os nossos pequenos, o Leite!

Essa semana recebi a revista do CRN(Conselho Regional de Nutrição), onde há uma matéria dizendo que o conselho irá punir o nutricionista que retirar o leite de qualquer dieta, sem que tenha uma comprovação de que o paciente tenha alergia à lactose ou à proteína do leite.

Mas por quê essa decisão? Por quê o leite é tão importante?

leite

O leite e seus derivados são uma fonte valiosa de proteína, gordura, carboidrato e vitamina D, além de serem ricos em cálcio, que é essencial para a saúde dos ossos e dentes.

Destaca-se a importância da ingestão de leite e derivados pelas crianças em razão de se constituir, dentre outros fatores, relevante fonte de cálcio, contribuindo com aproximadamente dois terços desse importante nutriente na alimentação infantil, sendo o restante suprido com a ingestão de vegetais, frutas e grãos. Sendo o cálcio o mineral mais abundante no corpo humano, esse nutriente é responsável pela formação e manutenção óssea, assim como pela mineralização óssea, justificando a grande preocupação na garantia de sua ingestão pelas crianças e adolescentes.

É importante também destacar que as necessidades de ingestão de leite e derivados se modificam com a idade. Nos pré-escolares, de dois a quatro anos de idade, preconiza-se três porções ao dia de leite de vaca e derivados, diminuindo-se para 2 porções nas crianças entre quatro e seis anos de vida. Já na fase escolar, dos sete aos dez anos, e na adolescência, dos onze aos dezoito anos, recomenda-se a ingestão de 3 a 5 porções ao dia, a fim de garantir a adequada formação da massa óssea, muito acelerada na adolescência, além de prevenir a osteoporose na fase adulta.

Diante da relevância da ingestão de leite, se houver pouca aceitação ou rejeição pelo consumo do leite in natura pelas crianças e adolescentes, os pais deverão ofertá-lo na forma de seus derivados, ou mesmo incluir o leite na preparação dos alimentos. Recomenda-se que os responsáveis pela alimentação das crianças ofereçam e estimulem o consumo de leite e derivados, desde a tenra idade, ressaltando, com o passar da idade, sobre a importância desse precioso alimento para o desenvolvimento sadio e completo do ser humano.

Portanto, nada de tirar o leite da alimentação sem qualquer orientação médica ou de um nutricionista!

Espero que tenham gostado!

Beijos e até a próxima!

Fonte: Blog Nutriservice – Dra. Mariana Franceschini Falavina Grigoletto ( Pediatra em Valinhos/SP na DOCTOR KIDS Clínica Materno Infantil.) e site DraNutri

Imagem: google